gototopgototop
Entrada

Formação em Tecnologia de Processamento de Frutas


No âmbito do Acordo Básico de Cooperação Técnica e Cientifica entre os Governos da Republica da Guiné-Bissau e da Republica Federativa do Brasil, mais especificamente no quadro do projecto de Apoio ao Fortalecimento do Centro de Promoção do Caju (CPC), deslocou-se a Brasil (Petrolina - Estado de Pernambuco), de 2 a 15 de Novembro de 2008, para participar num curso de aperfeiçoamento em tecnologias de processamento de frutas, uma equipa de quatro técnicos guineenses, sendo três do CPC e um do MEN (Ministério da Educação Nacional). A equipa foi chefiada pela Coordenadora do CPC, Enga. M'Balia Keita Gomes.



As actividades previstas decorreram nas instalações do Centro Federal de Educação Tecnológica de Petrolina (CEFET-Petrolina), vocacionado para realização de formação em diferentes áreas, entre as quais, o processamento de alimentos, agricultura, suinicultura, etc., tanto a nível médio como superior. Este centro conta com três unidades, a saber: (1) a unidade agrícola, onde são ministrados cursos nesse domínio; (2) a unidade industrial, onde, para alem dos cursos de processamento de alimentos também são ministrados cursos de turismo, construção civil, informática hidráulica e solos; (3) a unidade de floresta, um misto de agrícola e industrial.

 

Durante a estada dos técnicos guineenses na cidade de Petrolina, foram desenvolvidas as seguintes actividades:

1.      Apresentação do CEFET-Petrolina, em que foi explicado o funcionamento e a gestão do mesmo. O centro possui um director geral que é eleito pelos funcionários e coadjuvado com vários gerentes nas diferentes áreas de ensino. Saliente-se que o custo de funcionamento é suportado pelo Governo na sua totalidade, já que todos os cursos são gratuitos.

2.      Visita à unidade agrícola, onde são ministrados cursos de processamento de alimentos, de agricultura, suinicultura, avicultura, caprinos entre outros. Esta unidade possui uma vasta área plantada com diferentes variedades de frutas, legumes e tubérculos. Também possui aviários, suínos, caprinos, matadouros e alguns laboratórios.

3.      Visita a unidade industrial. É nesta unidade que se concentra o grosso dos laboratórios e são ministrados, para além de curso de tecnologias do alimento, os de informática, turismo, construção civil, hidráulica e solos, química, entre outros.

4.      Visita a Fazenda Fortaleza, que se dedica à produção comercialização de uvas e mangas.

5.      Visita a Fazenda Vinícola Casa Nova, que produz uvas para exportação, assim como, para o fabrico de vinho.

6.      Actividades práticas em conjunto com os alunos da agro-indústria, o que permitiu conhecer e melhorar as técnicas para aproveitamento do caju, nomeadamente:
Polpa de caju
Geleia de caju
Frutas em Calda (caju e manga)
Cajuína
Néctar (caju e manga)
Caju em massa (cremoso e corte)
Noções sobre conservação de legumes
Noções sobre produção de vinhos.

É de salientar que estes produtos podem ser feitos com quase todos os frutos.

Na deslocação à fortaleza, a equipa visitou o CEFET-Fortaleza e a CIONE (a maior fábrica de processamento da castanha de caju), que também faz o aproveitamento do pedúnculo para fins culinários.

 

Actualizado em (Terça, 15 Fevereiro 2011 14:39)